Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP Menu.

Pólipos endometriais

Pólipos endometriais

Pólipos endometriais são estruturas que afetam o útero, órgão do sistema reprodutor feminino importante para diversas funções do corpo feminino, como a gestação. Certas alterações podem provocar dificuldades de engravidar, por isso é importante fazer os exames de rotina e investigar possíveis doenças uterinas.

O útero é um dos órgãos mais importantes do sistema reprodutor feminino. É formado por três camadas: endométrio (camada interna do útero formada por tecido epitelial), miométrio (camada intermediária formada por tecido muscular) e perimétrio (camada externa do útero).

Os pólipos endometriais são projeções (estruturas formadas por tecido endometrial) do endométrio para o interior da cavidade uterina. Eles podem ser únicos ou múltiplos e apresentam diferentes formas e tamanhos.

Ainda não está totalmente determinada a prevalência dos pólipos uterinos, mas estudos mostram que ela fica entre 7,8% e 34% em mulheres com sangramento uterino anormal. Os pólipos são, em quase sua totalidade, benignos, mas existem casos de malignidade.

Alguns fatores de risco aumentam as chances de malignidade:

Com os avanços da ultrassonografia pélvica, hoje é possível identificar a doença com mais facilidade.

Neste texto, vamos mostrar quais são as causas dos pólipos, seus sintomas, os exames de investigação, como são feitos o diagnóstico e o tratamento e como lidamos com a doença no contexto da reprodução assistida.

Causas

As causas dos pólipos endometriais ainda estão em estudo, mas algumas evidências sugerem que eles podem se desenvolver:

Sintomas

Muitas mulheres com pólipos são assintomáticas, por isso eles são detectados apenas em exames de rotina.

No entanto, quando produzem sintomas, os mais comuns são:

Todos os sintomas devem ser investigados, principalmente porque muitas doenças apresentam sintomas semelhantes e apenas os exames conseguem determinar o fator (doença) responsável por este desconforto.

Exames e diagnóstico

Os pólipos endometriais são diagnosticados com o auxílio das ultrassonografias pélvica ou transvaginal. Com o avanço desses exames, o diagnóstico dos pólipos tornou-se mais fácil. Isso é importante porque, diferentemente dos miomas, por exemplo, que têm uma taxa praticamente nula de malignidade, os pólipos são estruturas com maior predisposição para malignidade, principalmente em mulheres pós-menopausa.

Por essa razão, a investigação deve ser feita e o tratamento indicado o mais breve possível.

Tratamento

O tratamento é cirúrgico. É indicada a histeroscopia cirúrgica para a retirada dos pólipos e eliminação da possibilidade de malignidade.

Pólipos, infertilidade e reprodução assistida

Pólipos endometriais

Pólipos endometriais

Os pólipos endometriais podem chegar a ocupar uma parte considerável do útero e impedir tanto a passagem do espermatozoide em seu percurso até a tuba uterina para fecundar o óvulo como o desenvolvimento saudável da gestação, havendo risco de aborto.

Por essa razão, sempre indico a retirada dos pólipos antes de o casal voltar a tentar engravidar, seja pelo método natural, seja com o auxílio da fertilização in vitro (FIV), técnica de alta complexidade que eleva significativamente as chances de gravidez.

Compartilhe:

Faça um comentário

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Infertilidade masculina: sintomas e como identificar

A infertilidade afeta 15% dos casais pelo mundo, e a infertilidade masculina é responsável por […]

Leia +

Contato

Rua do Rócio, 423 - Conjunto 1.406 Vila Olímpia | São Paulo-SP CEP 04552-000

(11) 4750-1170

(11) 99507-9291

Scroll