Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP Menu.

Ovodoação (doação de óvulos)

Sabemos que cerca de 30% dos casos de infertilidade são causados por fatores femininos. Todas as mulheres nascem com uma reserva limitada de óvulos. A primeira menstruação (menarca) marca o início da vida fértil da mulher, período chamado de puberdade. A menopausa determina o fim, quando essa reserva de óvulos se esgota e a mulher deixa de ter a possibilidade de ficar grávida naturalmente.

O organismo feminino não produz novos óvulos ao longo da vida. Com o aumento da expectativa de vida e as conquistas sociais femininas, a mulher passou a planejar a gravidez para mais tarde e a enfrentar problemas de fertilidade por causa disso. Dependendo da reserva ovariana e da qualidade dos óvulos, a mulher pode recorrer à ovodoação. Outra possibilidade é fazer a preservação social da fertilidade, que é o congelamento dos próprios óvulos antes dos 37 anos.

A ovodoação ou doação de óvulos é utilizada no contexto das técnicas de reprodução assistida para possibilitar que mulheres inférteis, em virtude de baixa qualidade ou baixa reserva de óvulos, possam gerar seus próprios filhos.

Existem muitos recursos desenvolvidos pela medicina reprodutiva que oferecem aos casais a possibilidade de ter um filho, mesmo em situações graves de infertilidade. Procure um especialista caso esteja enfrentando essa dificuldade. Oferecemos todo o apoio necessário aos pacientes nesse momento delicado.

Neste texto, vamos abordar a regulamentação da doação de óvulos no Brasil, quando ela pode ser indicada e como é feito o procedimento de doação em si.

Regulamentação

No Brasil, a ovodoação é regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), que atualiza periodicamente as regras e as normas éticas para a reprodução assistida.

Algumas regras importantes são:

  1. A doação não poderá ter caráter lucrativo ou comercial;
  2. Os doadores não devem conhecer a identidade dos receptores e vice-versa;
  3. A idade limite para a doação de óvulos é de 35 anos para a mulher.
  4. Deve ser mantido, obrigatoriamente, sigilo sobre a identidade dos doadores, bem como dos receptores.

Essas determinações são fundamentais para que a técnica seja realizada de maneira segura e ofereça boas taxas de sucesso. Conforme a mulher envelhece, a qualidade dos óvulos e a reserva ovariana diminuem. Quando ela chega aos 35 anos, essa perda de qualidade e quantidade se acentua. Mulheres acima dessa idade não podem mais doar óvulos, pois as chances de sucesso da fertilização in vitro (FIV) ficam reduzidas.

Considerando essas regras e os tipos de problemas que podem levar à infertilidade, a ovodoação tem indicações específicas.

Indicações

Avaliamos cada caso individualmente para propor a melhor conduta de tratamento da infertilidade. A ovodoação é indicada, geralmente, nos seguintes casos:

Casais homoafetivos masculinos, assim como homens que buscam a produção independente, podem recorrer às técnicas de ovodoação e cessão temporária de útero para ter seu filho com o auxílio da FIV.

Nesse caso, um dos parceiros cede seus espermatozoides para o procedimento. Depois da escolha dos óvulos, é feita a fecundação em laboratório, formando os embriões. Esses embriões então, depois de se desenvolverem no laboratório, são transferidos para a mulher que cederá o útero para a gravidez, que levará a gestação até o nascimento da criança.

Como é feito o procedimento

O processo de doação de óvulos é um pouco mais complexo que a doação de espermatozoides. Os óvulos ficam nos ovários, localizados na pelve feminina. São necessárias a estimulação ovariana (para que um número maior de óvulos possa ser coletado) e a punção folicular, que são também as etapas iniciais da FIV.

Nem todas as mulheres podem doar óvulos. Além de atender às regras determinadas pelo CFM, a mulher deve estar saudável e com boas condições de fertilidade. O objetivo também é potencializar as chances de sucesso de gravidez da receptora.

Para isso, são necessários exames específicos de avaliação da qualidade dos óvulos e da reserva ovariana.

O procedimento é realizado nas seguintes etapas:

A ovodoação leva cerca de 15 dias para ser concluída. A mulher precisa ter disponibilidade de realizar todo o procedimento.

Se você pensa em doar óvulos, procure uma clínica de reprodução assistida. Você receberá toda a orientação necessária.

Compartilhe:

Faça um comentário

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
O que é trombofilia e qual sua relação com a infertilidade?

Atualmente apontada como um dos fatores de infertilidade, a trombofilia é uma doença que causa […]

Leia +

Contato

Rua do Rócio, 423 - Conjunto 1.406 Vila Olímpia | São Paulo-SP CEP 04552-000

(11) 3846-2409 | (11) 3846-7335

(11) 99507-9291

Scroll