Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP Menu.

Laparoscopia

A laparoscopia ou videolaparoscopia é um procedimento minimamente invasivo indicado para o tratamento de diversas patologias e outras condições que afetam os órgãos da região abdominal com o auxílio do laparoscópio, instrumento dotado de uma câmera e iluminação especialmente desenvolvido para guiar o cirurgião durante o procedimento.

A laparoscopia é uma das técnicas cirúrgicas mais avançadas atualmente, embora tenha sido desenvolvida na década de 1980. Os riscos envolvidos são baixos, as taxas de sucesso são altas e a recuperação da paciente é rápida e não requer cuidados especiais na maioria das intervenções.

A laparoscopia foi desenvolvida principalmente como alternativa à laparotomia, cirurgia tradicional em que era realizada uma grande incisão no abdômen da paciente para acessar os órgãos internos e tratar o que pudesse acometer a região. A técnica possibilita que o cirurgião visualize as cavidades pélvica e abdominal, facilitando o tratamento de inúmeras patologias.

Neste texto, vamos abordar quais as indicações, como é feita a laparoscopia, que tipos de doenças podem ser tratadas com a técnica e o pós-operatório.

Indicações da laparoscopia

A laparoscopia é indicada para o tratamento de diversas patologias e condições que afetam a região pélvica. Na área de reprodução assistida, ela tem um papel relevante na recuperação da fertilidade, tendo em vista que é indicada para o tratamento de condições que podem provocar infertilidade.

As principais indicações – existem muitas – da laparoscopia são o tratamento de:

A laparoscopia oferece uma série de benefícios em relação a outras técnicas cirúrgicas, como menor tempo de internação, menores riscos, pequenas cicatrizes, rápida recuperação e maiores taxas de sucesso.

De modo geral, quando é possível sua realização, a laparoscopia é a técnica indicada.

Como é feita a laparoscopia

Laparoscopia é o termo que denomina a técnica cirúrgica minimamente invasiva que utiliza como principal instrumento o laparoscópio para realizar o tratamento de diversos tipos de patologias, como endometriose, miomas, adenomiose, obstrução das tubas uterinas, cistos ovarianos, aderências e malformações. Os órgãos que podem ser visualizados na laparoscopia são: útero, ovários, estômago, fígado, apêndice, vesícula, baço e intestinos.

O procedimento cumpre algumas etapas comuns a qualquer tipo de intervenção, mas tem particularidades de acordo com a patologia a ser tratada e sua gravidade.

A mulher é internada no hospital para preparar para cirurgia. Trata-se de um procedimento que requer anestesia geral, portanto os cuidados devem ser tomados.

Depois da anestesia, o cirurgião faz algumas incisões de cerca de 1 cm na região abdominal da paciente para introduzir o laparoscópio com a câmera e instrumentos especializados, como pinças, para a realização da operação.

Na sequência, o cirurgião utiliza esses instrumentos e se orienta pelo monitor para fazer o tratamento necessário.

O tempo de internação, de cirurgia, o pós-operatório e os resultados também dependem do tipo e da gravidade da patologia que será tratada.

Pós-operatório

O pós-operatório depende da extensão da intervenção realizada, mas é de aproximadamente 7 dias. Existem recomendações específicas que podem ser feitas pelo médico e que devem ser obedecidas para que a recuperação seja mais rápida e completa.

Compartilhe:

Faça um comentário

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
O que é trombofilia e qual sua relação com a infertilidade?

Atualmente apontada como um dos fatores de infertilidade, a trombofilia é uma doença que causa […]

Leia +

Contato

Rua do Rócio, 423 - Conjunto 1.406 Vila Olímpia | São Paulo-SP CEP 04552-000

(11) 3846-2409 | (11) 3846-7335

(11) 99507-9291

Scroll