Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP Menu.

Doação de embriões

Sabemos que cerca de 30% dos casos de infertilidade são causados por fatores femininos, de 30% a 40% por fatores masculinos, 20% pela combinação de ambos e 10% por causas não aparentes. A doação de embriões é um recurso da medicina reprodutiva para possibilitar que casais inférteis possam ter filhos.

Assim como a doação de sêmen e de óvulos, a doação de embriões é um procedimento que aumenta as chances de gravidez de casais que recorrem à fertilização in vitro (FIV), técnica de reprodução assistida com as melhores taxas de sucesso de gravidez.

Neste texto, vamos abordar o que são embriões, a regulamentação da doação no Brasil, quando ela pode ser indicada e como é feito o procedimento de doação em si.

O que são embriões?

A cada ciclo menstrual, os ovários liberam um único óvulo, gameta feminino fundamental para a fertilidade. O óvulo sai do ovário e é capturado pela tuba uterina para que ele possa começar seu trajeto até o útero.

Os espermatozoides, que atravessam o canal vaginal e a cavidade uterina, chegam às tubas e fecundam o óvulo, dando origem ao zigoto, que é um estágio pré-embrionário. No zigoto, é possível identificar os pronúcleos feminino e masculino antes do início da divisão celular, chamada clivagem.

Durante o percurso das tubas uterinas para o útero, o zigoto começa a se dividir, tornando-se um embrião. Cerca de 5 dias depois do início da divisão celular o embrião chega ao útero e se fixa ao endométrio. Se houver algum problema nesse processo, o casal pode apresentar infertilidade.

A FIV tem 5 etapas principais: estimulação ovariana e indução da ovulação, punção folicular e coleta de espermatozoides, a fecundação em si, o cultivo e desenvolvimento embrionário e a transferência dos embriões ao útero da mulher. Com a doação de embriões, embora seja necessária a preparação do endométrio e da mulher de modo geral para receber o embrião, a FIV segue diretamente para sua última etapa, que é a transferência dos embriões doados.

Regulamentação

No Brasil, a doação de embriões, assim como a de gametas, é regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), que atualiza periodicamente as regras e as normas éticas para a reprodução assistida de modo geral.

Algumas regras importantes da doação de embriões são:

  1. A doação não poderá ter caráter lucrativo ou comercial.
  2. Os doadores não devem conhecer a identidade dos receptores e vice-versa.
  3. Deve ser mantido, obrigatoriamente, sigilo sobre a identidade dos doadores, bem como dos receptores.

As regras estabelecidas pelo CFM têm o principal objetivo de dar diretrizes importantes para a realização das técnicas de reprodução assistida pelo país e proteger o casal nesse momento delicado.

A doação de embriões pode ser uma alternativa a muitos casais que estejam com dificuldade de engravidar.

Indicações

Avaliamos cada particularidade dos casais que nos procuram para propor a melhor conduta de tratamento da infertilidade e potencializar as chances de gravidez.

A indicação de doação de embriões é mais rara que a de gametas, pois geralmente a infertilidade é causada por fatores masculinos ou femininos, não por fatores combinados ou por causas não detectáveis. No entanto, existem casais com problemas de fertilidade mais graves, que somente a doação de embriões pode ajudar.

As principais indicações são:

Como é feito o procedimento

Os casais que recorrem à FIV para engravidar passam pelas etapas da técnica normalmente: estimulação ovariana e indução da ovulação, punção folicular e coleta dos espermatozoides, fecundação em laboratório, cultivo e desenvolvimento embrionário e transferência dos embriões ao útero da mulher.

Ao final do processo, o casal pode ter gerado um número de embriões em maior quantidade que o necessário e permitido para transferir para o útero da mulher. Esses embriões são chamados excedentes e devem, obrigatoriamente, ser congelados por pelo menos três anos. Nesse período, caso o casal queira ter outro filho, pode utilizar os embriões congelados.

Se o casal não quiser mais ter filhos nem manter os embriões congelados, pode optar por doar esses embriões para outros casais inférteis.

Compartilhe:

Faça um comentário

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
O que é inseminação artificial?

Desde a década de 1970, quando começou a ser utilizada no Brasil, a inseminação artificial […]

Leia +

Contato

Rua do Rócio, 423 - Conjunto 1.406 Vila Olímpia | São Paulo-SP CEP 04552-000

(11) 4750-1170

(11) 99507-9291

Scroll