Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP Menu.
Reprodução Humana

Epididimite

Epididimite

A epididimite é uma inflamação aguda ou crônica dos epidídimos, que pode ser causada por diversos fatores. Os epidídimos são ductos microscópicos nos quais as células espermáticas ficam armazenadas e amadurecem após serem produzidas pelos testículos.

Dependendo da gravidade da infecção, a epididimite pode causar infertilidade no homem.

A inflamação dos epidídimos pode também afetar os testículos. Nesses casos, a doença é chamada epidídimo-orquite.

Neste texto, vamos falar sobre as causas, os sintomas, os exames solicitados para investigação da doença e como são feitos o diagnóstico e o tratamento.

Causas e prevenção

A epididimite é causada geralmente pelos seguintes fatores:

A principal forma de contaminação é a sexual. Portanto, homens em idade sexualmente ativa têm mais chances de contrair a doença. Tanto a clamídia como a gonorreia são bactérias que causam infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) e podem causar a epididimite. Dessa forma, a melhor maneira de evitar a doença é utilizar preservativo em todas as relações sexuais.

Os traumas na região e o refluxo da urina também podem causar a infecção, mas essas ocorrências são menos frequentes. A prevenção, nesses casos, também é mais difícil.

Embora as chances sejam pequenas, a epididimite também pode causar infertilidade e, portanto, deve ser tratada assim que diagnosticada. Dessa forma, é muito importante estar atento aos sintomas.

Sintomas

A epididimite pode ser aguda ou crônica, dependendo da frequência de manifestação e da intensidade dos sintomas.

Quando a doença se estende por mais de seis semanas, ela é considerada crônica. Isso pode acontecer caso o homem não procure tratamento ou a doença seja reincidente, também, se o tratamento não for feito da maneira correta ou não concluído como orientado. As causas da epididimite crônica são mais relacionadas aos traumas e ao refluxo, que são mais difíceis de detectar e tratar.

As manifestações agudas da doença, geralmente causadas por infecções, apresentam sintomas mais evidentes e tendem a desaparecer em pouco tempo, com o tratamento correto.

Os principais sintomas da epididimite são:

A infertilidade é uma condição rara, que pode aparecer em casos graves da doença.

Como muitos sintomas são comuns a outras doenças, o homem deve ficar atento e procurar assistência médica com urgência.

Exames e diagnóstico

Epididimite

Epididimite

Geralmente, o diagnóstico é feito baseado nos sintomas relatados pelo paciente e no exame físico. Mas existem outros exames complementares que podem ser solicitados para melhor elucidação diagnóstica.

Os exames mais solicitados são:

De modo geral, exames complementares para investigação de ISTs são solicitados. Na presença de uma IST, as demais doenças com mesma via de contágio devem ser investigadas.

Tratamento

O tratamento da epididimite depende da sua etiologia. Como a maioria dos casos é causada por bactérias, o tratamento mais comum é com uso de antibióticos.

No entanto, cada caso deve ser avaliado individualmente, principalmente se houver comprometimento da fertilidade.

É fundamental que o tratamento prescrito seja realizado por todo o período recomendado, mesmo que os sintomas tenham desaparecido, pois uma doença mal curada pode retornar ainda mais intensa. Anti-inflamatórios e analgésicos podem ser prescritos para reduzir a dor.

Assim como ocorre com as outras infecções genitais, a epididimite pode ser contraída novamente, mesmo se o tratamento tiver sido bem-sucedido. Portanto, é importante prevenir com preservativos e tratar o paciente e a parceira.

Compartilhe:

Faça um comentário

17 respostas para “Epididimite”

  1. Daniel da Silva Bita disse:

    Obrigado pelas minhas dúvidas

  2. Emerson Souza disse:

    Olá, durante o tratamento da epididimite, posso me.masturbar? Ou por ter sangue no esperma e devido a dor,não é o correto…embora tenha vontade e o pênis fica ereto mais facil

    • Dra. Adriana de Góes disse:

      Olá, Emerson! Em caso de epididimite o ideal é evitar qualquer processo que possa causar dor, inclusive a masturbação.

  3. Carlos disse:

    Olá, como faço para curar a epididimite crônica? Já tomei antibióticos sob orientação de um médico, e por dias não sinto quase nada, mas os sintomas nunca somem 100%. Já fazem seis meses!

    • Dra. Adriana de Góes disse:

      Olá, Carlos!

      No caso da epididimite crônica o indicado é agendar uma avaliação com o urologista, pois se a infecção não existe mais, há outras causas do desconforto que devem ser investigadas.

      • Luis disse:

        Olá,estou quase na mesma situação do Carlos, no meu caso tomei apenas antiinflamatórios, a dor que eu tinha no testículo direito sumiu completamente, mas o esquerdo ainda está um pouco sensível mesmo após 3 meses

        • Dra. Adriana de Góes disse:

          Olá, Luis!

          É preciso investigar se não há um quadro infeccioso persistente, para poder tratar a doença que pode estar apenas do lado esquerdo. O ideal é agendar uma consulta com o Urologista.

          Obrigada!

    • Wesley disse:

      Tbm me encontro na mesma situação amigo, vc conseguiu se livrar disso?

    • Wesley disse:

      E ai conseguiu se livrar da epididimite crônica tbm me encontro assim e não consigo resolver.

  4. julio disse:

    minha duvida, é saber se posso andar de bicicleta?

    • Dra. Adriana de Góes disse:

      Julio, tudo bem?

      A atividade física pode piorar qualquer quadro inflamatório. Então é necessário primeiro tratar a epididimite para depois fazer qualquer atividade física.

  5. Henzo jotaagiota disse:

    Eu tive um trauma físico depois de um susto, eu sinto uma tensão no músculo que envolve o canal deferente e entra para dentro em direção ao abdômen.
    É uma sensação estranha, não é de dor, tenho o sintoma de pressão testicular, peso e desconforto abdominal. Cheguei a sentir o músculo fadigado como se tivesse hipertrofia.
    Comecei a sentir umas pulsações, tipo espasmo muscular na região perto ao ânus, parece ser próstata(acredito eu) e também nesse músculo que parecia fadigado.
    Fui fazer exame Doppler e nada apareceu, mas persistia os sintomas, as vezes diminuía, aumentava e até desaparecia.
    Dias depois comecei a vistoria pessoal e percebi algo parecido com nódulo, só que não se comportava como um pois aparentava ser uma parte que endureceu e era a calda do epidídimo.(Um trauma que evoluiu para epididimite)
    Fui usar o antibiótico Norfloxacina e senti o alivio quase na hora, porem já faz 2 dias do uso e os mesmos sintomas continuam, porém a calda do epidídimo voltou ao estado normal de textura.
    Só que eu fico intrigado eu sinto ou quase não sinto o testículo como outrora, é estranho, eu sinto uma sensação desconhecida que assemelha a ardência na calda do epidídimo, a tensão continua e os espasmos na região perto ao ânus permanece e evolui para uma leve ardência.
    O que deixa eu surpreso é que eu sou higiênico e virgem e ter contraído epididimite ser uma realidade.
    A tensão não é legal, ela é incessante.
    Tive a infelicidade de ter dois princípios de torção testicular, por sorte eu mantive a calma e esperei voltar ao normal.Depois ficou todo dolorido a região direita da barriga.
    Teve uma vez que senti uma pressão tão forte que parecia que meu testículo ia explodir :(.
    E quando eu vou contrair a barriga eu vejo o testículo direito subir mais que o esquerdo como resposta, ele tipo, fica tensionado com o abdome contraído em relação ao esquerdo.
    Seria possível eu ter machucado o músculo ou até torcido dentro do abdômen?

    • Dra. Adriana de Góes disse:

      Olá, Henzo!

      Para avaliar este quadro é necessário procurar ajuda de um urologista. Independente te ter relações sexuais ou não esse quadro de epididimite pode aparecer.

      Atenciosamente, Dra Adriana de Góes

  6. Bruno disse:

    Olá, a epididimite é contraída
    de imediato assim que tem a relação ou pode ser contraída após algum tempo no relacionamento?
    Obrigado.

    • Dra. Adriana de Góes disse:

      Olá, Bruno!

      A epididimite pode sim ser contraída após algum tempo do relacionamento, não necessariamente ocorre no início da relação. Procure um especialista para avaliação.

  7. Cleiton sousa disse:

    A dois meses eu fiz ultrassom e constatou epididimite já fiz o tratamento mas ainda tenho desconforto no testículo e a parte superior da bolsa escrotal está um pouco inchada isso é normal ou devo voltar ao urologista?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preparo seminal e FIV: qual a importância da técnica?

Também chamado de esperma, o sêmen é um líquido viscoso, com aparência esbranquiçada e que […]

Leia +

Contato

Rua do Rócio, 423 - Conjunto 1.406 Vila Olímpia | São Paulo-SP CEP 04552-000

(11) 4750-1170

(11) 99507-9291

Scroll