Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP Menu.

Espermograma

Cerca de 40% dos casos de infertilidade conjugal são decorrentes de fatores masculinos. Na grande maioria dos casos, esses fatores estão relacionados com a qualidade (morfologia e motilidade) e/ou a quantidade de espermatozoides no sêmen ejaculado.

O espermograma é o exame mais indicado para avaliar o sêmen (análise macroscópica) e os espermatozoides (análise microscópica). A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece parâmetros mínimos para que o homem seja considerado fértil.

No entanto, quanto melhores forem os parâmetros, mais facilidade o homem terá para engravidar sua parceira.

Se depois de 12 meses – ou 6 meses caso a mulher tenha mais de 35 anos – de tentativas de engravidar, o casal não tiver sucesso, recomenda-se que um especialista seja consultado para orientar o casal e fazer a investigação dos motivos que levam ao quadro de infertilidade.

Neste texto, vamos abordar as indicações do espermograma, quais são os parâmetros mínimos de qualidade, como o exame é realizado e seus resultados.

Indicações

O espermograma é indicado para:

O espermograma é um exame de baixa complexidade que fornece dados relevantes para a avaliação da fertilidade masculina. Muitas vezes, apenas a realização do espermograma identifica a causa da infertilidade no casal.

Geralmente, com o espermograma peço o processamento seminal. Os resultados já indicam a possibilidade de sucesso da gravidez em técnicas de reprodução assistida.

Alterações seminais têm diversas causas. De modo geral, é importante investigar o que pode prejudicar a infertilidade para propor o melhor tratamento.

É comum solicitar a realização do exame pelo menos duas vezes para comparar, com um intervalo de cerca de 15 dias, pois alguns fatores podem interferir nos resultados do exame.

Parâmetros seminais mínimos

A OMS determina, respaldada em pesquisas mundiais, os parâmetros seminais mínimos para o homem não ser considerado infértil. Esses parâmetros foram atualizados em 2010.

Os valores encontrados no espermograma são um excelente parâmetro para determinar as chances de gravidez que o casal tem.

Volume do sêmen                               1,5 ml

Concentração de espermatozoides          15 milhões por ml

Número total de espermatozoides           39 milhões por volume ejaculado

Motilidade total (PR + NP)                    40%

Motilidade progressiva (PR)                   32%

Vitalidade (espermatozoides vivos)         58%

Morfologia espermática (formas normais) 4%

pH                                                  ≥ 7,2

Também existem outros parâmetros mais específicos que são avaliados.

Se houver alguma alteração nesses parâmetros, o homem pode apresentar quadro de infertilidade.

Como o exame é realizado

A primeira etapa do exame é a preparação, que varia de acordo com os protocolos de cada laboratório. Esse é um exame que deve ser realizado preferencialmente no laboratório, pois a amostra deve ser analisada em curto período de tempo.

Depois desse tempo de abstinência, o homem vai ao laboratório realizar o exame. Ele recebe um recipiente de vidro ou plástico específico para coleta e produto para fazer a higienização do local, evitando a contaminação da amostra.

Ele é encaminhado para uma sala específica para realização do exame, feito por masturbação. Não podem ser usados produtos como lubrificantes, pois a amostra pode ser contaminada e prejudicar os resultados.

A amostra é encaminhada para análise imediatamente, pois a demora pode alterar os resultados de alguns parâmetros.

Análise seminal e resultados

São feitas duas análises no sêmen: macroscópica (análise dos aspectos do esperma) e microscópica (análise dos espermatozoides).

Análise macroscópica

A primeira avaliação feita é dos aspectos macroscópicos do sêmen: coloração, liquefação, volume, viscosidade e pH.

A coloração é considerada normal quando classificada como branco e opalescente.

O tempo de liquefação é considerado normal quando o tempo para que a amostra se torne completamente líquida é inferior a 60 minutos.

O volume é considerado normal quando superior a 1,5 ml.

A viscosidade pode ser classificada como normal ou anormal.

O pH normal do sêmen é maior ou igual a 7,2.

Qualquer alteração nesses parâmetros pode indicar problemas no sistema reprodutor masculino, como patologias. O médico faz a análise e interpretação dos dados e propõe a melhor conduta terapêutica.

Análise microscópica

A segunda avaliação feita é dos aspectos microscópicos do sêmen, ou seja, dos espermatozoides: concentração e número total de espermatozoides, motilidade total e progressiva, vitalidade e morfologia.

A concentração de espermatozoides deve ser acima de 15 milhões por ml.

O número total de espermatozoides no sêmen ejaculado deve ser superior a 39 milhões.

Existem dois tipos de motilidade: total e progressiva. Os valores de referência são, respectivamente, 40% e 32%.

A vitalidade indica a quantidade de espermatozoides vivos no sêmen, que deve ser superior a 58%.

A morfologia indica o formato dos espermatozoides, que apresentam cabeça, peça intermediária e cauda. Existem diversos tipos de anormalidades no formato dos espermatozoides que podem prejudicar a fertilidade. Segundo o critério de Kruger, a quantidade de espermatozoides com morfologia normal deve ser superior a 4%.

Alterações nesses parâmetros seminais também devem ser investigadas, pois são fundamentais para a fertilidade masculina.

Compartilhe:

Faça um comentário

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Infertilidade masculina: sintomas e como identificar

A infertilidade afeta 15% dos casais pelo mundo, e a infertilidade masculina é responsável por […]

Leia +

Contato

Rua do Rócio, 423 - Conjunto 1.406 Vila Olímpia | São Paulo-SP CEP 04552-000

(11) 4750-1170

(11) 99507-9291

Scroll