Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP Menu.
Reprodução Humana

Preparo seminal e FIV: qual a importância da técnica?

Também chamado de esperma, o sêmen é um líquido viscoso, com aparência esbranquiçada e que possui, em sua composição, diversas secreções produzidas nas estruturas do aparelho reprodutor masculino.

Tem por função principal facilitar o transporte de espermatozoides até o óvulo, gameta feminino, a fim de realizar a fecundação e consequentemente alcançar uma gravidez.

Alguns fatores são observados para definir as características dos espermatozoides e entre eles estão: morfologia e motilidade (em relação à quantidade) e o número de espermatozoides contidos no sêmen ejaculado.

São encontradas no sêmen algumas substâncias como: proteínas, vitaminas, frutose, antígenos prostáticos, entre outras coisas.

Cerca de 40% dos casos de pessoas com problemas para engravidar são ocasionados por infertilidade masculina; 30% por causas femininas; 20% devido à combinação dos fatores; e 10% não possuem causas aparentes, conhecidos como (ISCA – infertilidade sem causa aparente).

Um dos possíveis tratamentos para infertilidade é a fertilização in vitro e, para a realização da técnica, é necessário fazer o preparo seminal. Neste texto você encontra informações sobre a técnica e sua importância.

O que é o preparo seminal?

O preparo seminal é um procedimento de preparação do sêmen, indicado para homens com características seminais desfavoráveis e que estejam em processo de reprodução assistida, tanto a inseminação artificial (IA) quanto a fertilização in vitro (FIV), que são os principais procedimentos de reprodução assistida atualmente.

Tem por objetivo, separar os melhores espermatozoides e aumentar significativamente as taxas de sucesso na reprodução.

A coleta do sêmen é realizada e o material encaminhado ao laboratório para a preparação que é feita através de duas técnicas: a migração ascendente ou swim-up e gradiente descontínuo de densidade.

Migração ascendente

Tem a finalidade de encontrar os espermatozoides de melhor qualidade e separá-los dos demais elementos que formam o sêmen (espermatozoides mortos ou de baixa qualidade, plasma seminal, entre outros).

Uma amostra seminal é coletada e armazenada em um tubo de ensaio que contém uma substância utilizada como meio de cultura para preservar os espermatozoides.

Após essa etapa, uma força centrípeta é aplicada, trazendo os melhores espermatozoides até à superfície do líquido, fazendo com que os demais permaneçam no fundo do tubo.

Por fim, são colhidos os espermatozoides da superfície (os de melhor qualidade) para que possam ser utilizados em técnicas de reprodução assistida.

Gradiente descontínuo de densidade

Essa é a técnica mais utilizada por ser o procedimento de preparação seminal com maior chance de obter sucesso.

Uma força centrífuga é aplicada no sêmen, também depositado em um tubo de ensaio para que os elementos possam superar gradientes diferentes de densidade. Um líquido concentrado de espermatozoides é formado e somente os melhores podem vencer essas barreiras, fazendo com que os demais sejam descartados.

Quando o preparo seminal deve ser realizado?

Se um casal passar por dificuldades para engravidar ao longo de 12 meses de tentativas sem sucesso, deve ser realizada uma avaliação médica para indicar o tratamento mais adequado para o caso.

Nessa avaliação, são solicitados exames para investigar a fertilidade, que no caso do homem é chamado de espermograma e avalia aspectos macroscópicos e microscópicos do sêmen. O processamento seminal adicional pode ser solicitado a fim de escolher a técnica com melhores resultados de gravidez para o casal.

O preparo seminal é utilizado para aumentar as chances de fecundação, levando em consideração que os melhores gametas têm maior probabilidade de alcançar uma gravidez.

Essa preparação pode não ser efetiva em alguns casos, como os de azoospermia não obstrutiva, que ocorre por problemas na produção de espermatozoides. Nessa situação, é necessária a retirada dos gametas diretamente dos testículos (realizada por TESE ou Micro-TESE) ou dos epidídimos (realizada por PESA e MESA) por meio de procedimento cirúrgico.

O preparo seminal é realizado tanto em sêmen de homens que participam do processo de reprodução assistida, como em sêmen obtido de banco de doações de gametas.

Por se tratar de um processo complexo, a produção dos espermatozoides e das substâncias que compõem o sêmen, em casos de alterações, podem causar a infertilidade masculina.

Para otimizar as chances de fecundação, deve ser utilizado o sêmen selecionado previamente pelo processamento seminal. Este procedimento é realizado no laboratório de andrologia.

Com isso, atingir a sonhada gravidez através da tecnologia de reprodução assistida é cada vez mais promissor.

Se você gostou deste texto, sugiro a leitura sobre preparo seminal para informações mais detalhas sobre esse processo.

Veja também:
Aborto espontâneo e aborto de repetição

Abortamento espontâneo é o nome dado ao processo de morte embrionária ou fetal não induzida, […]

Leia +
E-book:
Last E-book Manual da Gestante Baixe grátis

Compartilhe:

Deixe seu comentário
Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Scroll