Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP Menu.
Reprodução Humana

PGT: o que é e como é feito na FIV?

A fertilização in vitro (FIV) é a técnica mais indicada e com maior grau de complexidade na reprodução assistida. Ela possui altas taxas de sucesso e é comumente recomendada para diversos casos de infertilidade ou em situações de falhas em outros procedimentos.

A FIV é um procedimento completo, indicado a partir de uma investigação prévia das causas da infertilidade, com a finalidade de otimizar as chances de sucesso na reprodução.

O casal é acolhido e amparado em todos os aspectos e uma análise mais detalhada é realizada por meio de exames e técnicas complementares para a realização da FIV com sucesso.

Um desses exames é o PGT, o teste genético pré-implantacional, que é realizado para evitar a transferência de embriões com alguma alteração genética.

A seguir, saiba mais sobre o procedimento da fertilização in vitro e como é realizado o teste genético pré-implantacional.

O que é a FIV?

A fertilização in vitro envolve muitos procedimentos complexos que elevam as chances de gravidez. Por realizar técnicas em laboratório, é possível um acompanhamento do embriologista para o desenvolvimento embrionário adequado.

Além disso, o casal realiza uma investigação inicial para identificar os problemas de infertilidade e aderir ao melhor tratamento antes mesmo de iniciar a FIV.

A FIV é realizada em cinco etapas principais, sendo elas:

  • Estimulação ovariana;
  • Punção ovariana e coleta dos espermatozoides;
  • Fecundação;
  • Cultivo embrionário;
  • Transferência embrionária.

Há um estímulo para uma maior produção de óvulos maduros disponíveis para o procedimento e em seguida eles são coletados e selecionados juntamente com a coleta dos espermatozoides.

A fertilização desses gametas ocorre em laboratório e é também onde ocorre o cultivo embrionário. O tempo desse cultivo varia de acordo com a estratégia adotada para a transferência.

A transferência pode ocorrer em estágio D3 ou D5 (blastocisto), sendo a segunda a mais comum.

Neste momento, é possível realizar a pesquisa genética nos embriões, principalmente utilizada em mulheres que já tiveram abortos de repetição.

Na fase de blastocisto o embrião já possui um número maior de células, possibilitando a análise mais detalhada, o que é feito por meio de uma biópsia.

Após a seleção dos melhores embriões, ocorre a transferência embrionária para que se complete o processo de implantação no endométrio naturalmente.

O que é PGT?

Realizado na FIV, o teste genético pré-implantacional é um método realizado para analisar geneticamente os embriões antes da transferência embrionária.

Com ele, é possível analisar alterações cromossômicas, evitar doenças genéticas hereditárias ou outras doenças que possam se desenvolver durante a gestação e com isso selecionar os melhores embriões.

Como é feito o procedimento?

O PGT é realizado durante o ciclo de cultivo embrionário da FIV, no qual os embriões resultantes da fecundação são mantidos em um ambiente controlado por alguns dias para se desenvolverem.

A fase de blastocisto, a D5, é o momento ideal para o exame por ser um estágio em que o embrião possui muitas células disponíveis para a análise genética.

Uma biópsia é feita e são retiradas de 5 a 6 células do embrião que são enviadas para análise laboratorial. Os embriões são mantidos em desenvolvimento ou podem ser congelados e preservados.

Apesar de permitir uma avaliação em até 24 horas, possibilitando a transferência do embrião no mesmo ciclo, na análise mais comumente realizada o resultado é obtido entre 7 e 10 dias. Nesse caso, os embriões são congelados para serem transferidos em um próximo ciclo.

O teste genético também pode ser feito no terceiro dia de desenvolvimento do embrião, o D3, porém é um procedimento que traz maiores riscos de danos e resultados menos precisos por possuírem menos células disponíveis.

Este procedimento só é adotado nesta fase em casos específicos, quando há baixa qualidade embrionária e o desenvolvimento do embrião até o quinto dia é improvável.

Com o resultado das análises, são selecionados os melhores embriões, aqueles que não possuem alterações genéticas e que possuam maior potencial de desenvolvimento embrionário. São transferidos ao útero embriões que tenham maiores chances de uma gestação saudável.

Quando o PGT é indicado?

Após a avaliação inicial do casal, o teste genético pode ser indicado. É realizado inicialmente um mapeamento cariótipo do casal a fim de identificar alterações que possam ser transmitidas.

Após essa análise, é possível detectar essas alterações nos embriões e selecionar aqueles que forem saudáveis.

O PGT é indicado em alguns casos, sendo eles:

  • Histórico de falhas de implantação ou abortos de repetição;
  • Mulheres com idade mais avançada;
  • Problemas na meiose dos espermatozoides na espermatogênese;
  • Histórico de doenças hereditárias na família;
  • Necessidade de aumentar as chances de sucesso no processo.

A FIV é a técnica que oferece as maiores taxas de sucesso na reprodução assistida e por isso é tão indicada.

Por possuir um tratamento individualizado, é possível avaliar o casal em questão e oferecer as melhores técnicas e procedimentos em busca da gravidez.

Saiba mais sobre o procedimento do PGT, o teste genético pré-implantacional que aumenta as possibilidades de sucesso na FIV.

Veja também:
Espermograma: saiba quando ele é solicitado

A infertilidade masculina está ligada a alterações de origem genética ou adquirida que podem afetar […]

Leia +
E-book:
Last E-book Manual da Gestante Baixe grátis

Compartilhe:

Deixe seu comentário
Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Scroll