Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP | WhatsApp
Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP Menu.
Reprodução Humana

Clamídia: o que é?

As ISTs (infecções sexualmente transmissíveis), anteriormente chamadas de DSTs, são infecções causadas por vírus e bactérias, e transmitidas principalmente por meio de relações sexuais desprotegidas.

Este é um problema que atinge pessoas no mundo inteiro, e o número de infectados cresce a cada dia. Existem diferentes ISTs, com diferentes sintomas e consequências, mas todas elas podem, se não tratadas adequadamente, causar infertilidade.

Uma das ISTs mais comuns é a clamídia, infecção causada pela bactéria Chlamydia trachomatis. Por ser uma doença muitas vezes silenciosa, o diagnóstico pode demorar a acontecer e as chances de transmissão sem conhecimento são grandes.

Para mais informações sobre a clamídia, seus sintomas, diagnóstico, tratamentos, complicações e relação com a infertilidade, continue lendo:

O que é clamídia?

A infecção por clamídia é a IST mais comum em todo o mundo. Por, em grande parte dos casos, não apresentar sintomas, os pacientes portadores da clamídia acabam transmitindo a doença para seus parceiros sexuais sem ao menos saber que estão infectados.

A doença é caracterizada pela infecção de órgãos genitais, uretra e outros. É transmitida, principalmente, por meio de relações sexuais sem o uso de preservativos — tanto pelo contato vaginal, quanto anal e oral. Também pode ser transmitida de mãe para filho no momento do parto.

Para prevenir e evitar a disseminação da doença, a forma mais efetiva é utilizar preservativos em todas as relações sexuais, principalmente quando não há um parceiro fixo.

Além da infertilidade e de problemas relacionados a uma gestação, a infecção por clamídia também pode causar doenças pulmonares. A doença pode atingir homens e mulheres de todas as idades.

Sintomas

Em grande parte dos casos, a infecção por clamídia não manifesta sintomas, e por isso há uma grande preocupação em relação a esta IST.

Quando existem sintomas, eles costumam ser discretos e muitas vezes os pacientes não dão a devida atenção. Por isso, a indicação é sempre procurar um médico após qualquer suspeita, por menor que seja.

Entre os possíveis sintomas da clamídia, estão:

  • Dor pélvica;
  • Dor e ardência ao urinar;
  • Dor nos testículos;
  • Dor nas relações sexuais (mulheres);
  • Sangramento anormal (mulheres);
  • Uretrite (infecção na uretra);
  • Secreção anormal na vagina (mulheres) ou na uretra (homens);

Exames e diagnóstico

O diagnóstico da clamídia muitas vezes só acontece quando o paciente está investigando a infertilidade, buscando tratamento para outros problemas ou realizando exames de rotina.

As principais formas de identificar a bactéria causadora da infecção são por meio de exames de urina e análise de secreção, da vagina, do reto ou da uretra.

Tratamentos

A clamídia é uma infecção que pode ser facilmente tratada por meio de antibióticos. A indicação é que o paciente diagnosticado e seus parceiros sexuais sejam tratados, mesmo quando não há sintomas.

Essa forma de tratamento evita consequências graves relacionadas à clamídia, além de diminuir as chances de reincidência.

Complicações

Quando a clamídia não é adequadamente tratada, a infecção pode se desenvolver e causar diversas complicações.

Um exemplo é a Doença Inflamatória Pélvica (DIP), que se caracteriza pela inflamação do útero, das tubas uterinas e dos ovários. Essa doença pode, entre outras coisas, deixar a mulher infértil.

Na gestação e no parto também pode haver complicações caso a mãe esteja infectada. A clamídia pode causar abortamento, parto prematuro e gestação ectópica.

Os homens também podem sofrer com complicações causadas pela clamídia. A infecção pode se desenvolver e atingir outros órgãos, como o epidídimo e os testículos, afetando a produção e o transporte dos espermatozoides — causando, assim, a infertilidade masculina.

Reprodução assistida

Quando o paciente é diagnosticado com infertilidade causada pela clamídia e tem a intenção de engravidar, a reprodução assistida pode auxiliar. Porém, para que a gestação aconteça de forma segura, é extremamente importante que a infecção seja tratada adequadamente.

O tratamento da clamídia antes de iniciar as tentativas de gravidez evita que a fecundação aconteça com espermatozoides de baixa qualidade, que haja complicações na gestação ou qualquer problema com o feto.

Após o tratamento, caso o casal ainda não consiga engravidar, as técnicas de reprodução assistida são indicadas. Atualmente existem três: a relação sexual programada (RSP), a inseminação artificial (IA) e a fertilização in vitro (FIV).

Cada uma é indicada em situações específicas, de acordo com a causa da infertilidade e a gravidade do problema. Quando a causa é a clamídia, a IA e a FIV são as mais indicadas.

Para mais informações sobre a doença e outros assuntos relacionados, continue aqui no site e leia mais sobre a clamídia.

Veja também:
Pólipos endometriais e infertilidade feminina

Pólipos endometriais são uma das mais frequentes doenças uterinas, afetando principalmente mulheres durante a menopausa, […]

Leia +
E-book:
Last E-book Manual da Gestante Baixe grátis

Compartilhe:

Deixe seu comentário
Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Scroll