Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP Menu.
Reprodução Humana

Abortos de repetição: veja quais são as causas

Abortos de repetição, também chamado de abortamento de repetição, é definido como a perda gestacional de duas ou mais gestaçõesconsecutivas antes da 22ª semana.

Os abortos de repetição têm uma grande consequência emocional nas gestantes, pois a decepção por não ter um filho aumenta a cada perda.

As causas da repetição do aborto são muito diversas, por vezes desconhecidas, o que agrava a situação de infertilidade e aumenta o tempo de espera até que seja encontrado o tratamento adequado que permita ter um filho.

Abaixo, um índice com os 4 pontos abordadosneste artigo.

1. O que é aborto de repetição;
2. Causas de aborto de repetição;
3. Diagnóstico;
4. Tratamento de aborto de repetição.

Vamos à leitura!

O que é considerado aborto de repetição?

Abortos de repetição é definido como a ocorrência de três ou mais interrupções involuntárias consecutivas da gravidez antes da 22ª semana, ou seja, até o quinto mês de gravidez. O aborto pode ocorrer tanto em gestações espontâneas quanto por meio de reprodução assistida.

Ter abortos repetidos não significa que você não possa ter uma gravidez viável e um filho saudável entre as perdas gestacionais. Dependendo da causa dos abortos, a probabilidade de sofrer uma nova perda pode ser maior ou menor, mas é possível sim, obter uma gravidez de sucesso se elas não forem consecutivas, quando indicam problemas na fertilidade feminina.

Causas mais frequentes de aborto de repetição

Às vezes, é difícil saber o que está causando os abortos de repetição. Em outras, entretanto, ele é descoberto após a investigação e as medidas necessárias podem ser iniciadas.

Possíveis causas do aborto de repetição:

1. Causas genéticas

As causas genéticas de abortamento são muito frequentes. Quando os embriões não possuem os 46 cromossomos exatos com os genes necessários para o desenvolvimento normal, sendo este número maior ou menor, o risco de abortamento aumenta muito.

Nesses casos, o fator idade materna possui grande impacto. O risco em mulheres abaixo dos 35 anos é menor, enquanto acima dos 40 anos aumenta significativamente.

2. Causas imunológicas

A autoimunidade representa a produção de anticorpos contra o “próprio corpo”. Algumas doenças autoimunes podem ser causa de perda gestacional recorrente, como, por exemplo, o lúpus, associado a alterações na coagulação.As doenças tireoidianas autoimunes, muito prevalentes nas mulheres brasileiras, também podem contribuir com a ocorrência de aborto.

No processo de implantação do embrião no útero, há um processo inflamatório necessário para a fixação. Quando há um exagero desta “inflamação”, mediado pelas células NK (natural killer), o aborto pode acontecer.

3. Causas anatômicas

Referem-se a alterações congênitas ou adquiridas na anatomia do útero da mulher, órgão onde ocorre a implantação do embrião e o desenvolvimento da gravidez. As causas que provocam o problema podem ser diagnosticadas por ultrassonografia.

As mais comuns são as seguintes:

Septo uterino, um defeito de nascimento;
Mioma uterino submucoso;
Síndrome de Asherman;
Insuficiência cervical.

Em geral, qualquer alteração que distorça a anatomia do útero.

4. Causas endócrinas

Abortos de repetição também podem estar relacionados a problemas hormonais nas mulheres, em situações como:

Insuficiência do corpo lúteo: refere-se à incapacidade de o corpo lúteo produzir progesterona, um hormônio muito importante para a manutenção da gravidez;
Diabetes mellitus: alta concentração de glicose no sangue;
Distúrbios da tireoide: hipotireoidismo e hipertireoidismo.

No entanto, nem todas as mulheres com essasdoenças sofrerão abortos de repetição:apenas os casos mais graves estão associados.

5. Trombofilia

A trombofilia é definida como a tendência à trombose, ou seja, à formação de trombos ou coágulos. Quando a mulher engravida e os vasos sanguíneos responsáveis por nutrir o embrião sofrem algum tipo de obstrução por coágulo, ele não consegue se desenvolver e ocorre um abortamento.

Qual é o tratamento para abortos de repetição?

O tratamento dos abortos de repetição visa solucionar o problema, de acordo com a causa.Por isso, a investigação realizada por um especialista é essencial. Após solucionado, a chance de uma gravidez bem-sucedida aumenta significativamente.

Os problemas endócrinos ou hormonais geralmente são resolvidos com medicamentose as alterações na anatomia do útero porintervenção cirúrgica. Já as doenças imunológicas são tratadas pelo especialista de acordo com cada caso.

Quando o aborto de repetição é causado por anormalidades cromossômicas, por outro lado, a gravidez é possível com a utilização da fertilização in vitro (FIV), principal técnica de reprodução assistida, em que óvulos, espermatozoides ou mesmo embriões mais saudáveis podem ser selecionados, minimizando as falhas na implantação e abortamento.

Vale ressaltar que a melhor opção de tratamento deve ser proposta por um médico, após a investigação clínica de cada caso. Individualizando-o e aumentando, dessa forma, as chances de sucesso.

Se você ainda tem alguma dúvida ou deseja agendar uma consulta, entre em contato conosco!

Se você teve abortos e está difícil prosseguir, pense que com o tratamento adequado a sua próxima gravidez trará seu filho em seus braços e o sonho realizado!

Leia também o nosso texto especial sobre aborto de repetição e entenda mais o assunto.

Veja também:
Clamídia: saiba como é feito o tratamento

Você sabia que a clamídia é uma infecção sexualmente transmissível (IST) que pode causar infertilidade […]

Leia +
E-book:
Last E-book Manual da Gestante Baixe grátis

Compartilhe:

Deixe seu comentário
Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Scroll