Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP | WhatsApp
Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP Menu.
Reprodução Humana

Implantes hormonais

Os implantes hormonais constituem uma via alternativa ao uso de comprimidos, gel, adesivo e injetáveis para administração de hormônios. Este método foi idealizado há cerca de 3 décadas e tem sido cada vez mais divulgado.

Considerando as outras vias de terapia hormonal, podemos dizer que o implante apresenta uso mais restrito pelo fato de necessitar de treinamento especializado para sua inserção e conhecimento técnico para a prescrição adequada dos hormônios disponibilizados por esta via.

O implante em si é uma cápsula de silástico, semipermeável, que permite a liberação diária do hormônio nele contido de forma gradual e contínua.

Os hormônios disponibilizados via implante são:

As vantagens desta via estão relacionadas com:

A maior desvantagem desta via é sua aplicação restrita a profissionais especializados. Os efeitos colaterais em relação ao uso de hormônios não estão relacionados com a via de administração, mas sim qual a medicação em si. Portanto, não vamos listar aqui como desvantagem do método.

Vamos falar agora um pouco mais sobre cada hormônio e a indicação de uso. Contudo, apenas após uma avaliação médica adequada é possível definir se o uso de implantes deve ser considerado no seu caso e qual hormônio e dose recomendados.

Gestrinona

Indicada para tratamento de doenças como endometriose, mioma uterino e TPM.

Pode ser usada como método contraceptivo ou também para tratamento da menopausa.

Esta substância ficou conhecida como “chip da beleza” por oferecer resultados estéticos relacionados a ganho de massa magra. Todavia, este termo não é adequado pois o uso da GESTRINONA tem finalidade de tratamento médico e os resultados estéticos são secundários ao objetivo principal: tratar uma doença. Como toda medicação apresenta efeitos colaterais e deve ser ponderado o custo-benefício para sua administração. Não se trata de anabolizante.

Estradiol

Este é o hormônio feminino que pode ser associado a outros como gestrinona, testostosterona, nestorone com finalidade de equilibrar os efeitos hormonais no corpo da mulher. Esta associação visa minimizar efeitos colaterais, ajustar a deficiência deste hormônio, especialmente em mulheres acima de 40 anos. Não é usado isoladamente, pois a associação com outro hormônio equilibra a ação do estradiol, especialmente no endométrio, camada interna do útero, evitando assim sangramentos indesejados e estímulo hormonal excessivo na cavidade uterina.

Testosterona

Este hormônio é reconhecido erroneamente como exclusivamente masculino. Contudo, as mulheres também produzem testosterona em doses menores que os homens. Este hormônio está especialmente elevado no período fértil da mulher. Em outras fases e com uso de contraceptivo hormonal, há um bloqueio da produção de testosterona e esta redução está frequentemente associada com a queda de libido feminina. Com o passar dos anos há uma queda progressiva da produção hormonal global. Os implantes possibilitam personalizar a dose necessária para cada paciente de acordo com os sintomas apresentados.

O implante de testosterona não tem a finalidade de anabolizante ou masculinizante. O objetivo é ajustar a dose deste hormônio para níveis fisiológicos para oferecer qualidade de vida para mulher. A deficiência de testosterona está relacionada com queda da libido, desânimo e humor depressivo. Todavia, é muito importante investigar doenças que levam a sintomas similares a falta de testosterona.

Nestorone

Este hormônio pode ser usado por mulheres que amamentam e, ao contrário dos demais implantes que tem duração de 1 ano, este dura 6 meses.

Está indicado como contraceptivo e para tratamento de doenças como ENDOMETRIOSE e SINDROME DOS OVÁRIOS POLICÍSTICOS.

Frequentemente é associado a testosterona e estradiol para promover um menor equilíbrio hormonal e evitar sangramento irregular.

Nomegestrol

Dentre os hormônios disponíveis este tem seu uso mais restrito e está indicado em associação com outros hormônios para equilibrar a ação no endométrio (camada interna do útero). Ao contrário de outros hormônios, se usado isoladamente, a maioria absoluta das mulheres apresenta ciclos menstruais mensais. Portanto, não está indicado com a finalidade de bloqueio menstrual.

Compartilhe:

Faça um comentário

Os comentários estão desativados.

Pólipos endometriais e infertilidade feminina

Pólipos endometriais são uma das mais frequentes doenças uterinas, afetando principalmente mulheres durante a menopausa, […]

Leia +

Contato

Rua do Rócio, 423 - Conjunto 1.406 Vila Olímpia | São Paulo-SP CEP 04552-000

(11) 4750-1170

(11) 99507-9291

Scroll