Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP
Menu.
Procedimentos (Os procedimentos são realizados por laboratório de parceiros)
Reprodução Humana

Óvulos: o que são?

Os óvulos são fundamentais para a reprodução, natural ou por tratamentos de reprodução assistida. Eles são protegidos pelos folículos ovarianos e liberados durante o ciclo menstrual até a chegada da menopausa.

Ao nascer, a mulher possui cerca de 2 milhões de folículos e óvulos, mas essa quantidade diminui consideravelmente ao atingir a puberdade. Por não haver uma renovação, a quantidade diminui com os anos, sendo um fator que afeta a fertilidade feminina. Além disso, a qualidade dos gametas também é menor e interfere nas chances de uma gravidez.

Neste texto falamos sobre os óvulos e como eles se relacionam com a fertilidade feminina. Vamos lá?

O que são óvulos?

Uma etapa muito importante para que a gravidez aconteça é a união entre o óvulo, gameta feminino, e o espermatozoide, gameta masculino, processo que chamamos de fecundação, quando o material genético com 23 pares de cromossomos do óvulo se une com os 23 pares do espermatozoide formando o embrião.

Armazenados nos ovários, os óvulos são formados ainda durante a fase intrauterina. Ou seja, as mulheres nascem com uma quantidade definida dos que vão ser utilizados durante sua vida reprodutiva. Eles se desenvolvem dentro dos folículos ovarianos, estruturas semelhantes a uma bolsa que os protege.

Para compreender melhor esta relação entre ovário, folículo e óvulo, considere que o ovário seja um cacho de uvas, cada uva um folículo e que a semente seja o óvulo. Quanto maior a quantidade de uvas no cacho, maior a fertilidade.

A partir da primeira menstruação, os ciclos menstruais ocorrem de forma cíclica até a chegada da menopausa. Durante o ciclo menstrual, o corpo se prepara para uma gravidez. Os hormônios FSH (folículo-estimulante) e LH (hormônio luteinizante) estimulam o recrutamento, desenvolvimento e amadurecimento dos folículos ovarianos, mas apenas um se desenvolve por completo. 

Nessa fase, o folículo se rompe liberando o óvulo maduro para uma das tubas uterinas, etapa conhecida como ovulação, local em que vai esperar pelo espermatozoide. Os folículos em desenvolvimento passam a secretar estrogênio, responsável pelo espessamento da camada interna uterina, endométrio, para receber o embrião após a fecundação. 

Se a fecundação acontecer, o embrião segue em direção ao útero para se implantar no endométrio e dar início à gestação. Do contrário, o endométrio descama e a menstruação marca o início de um novo ciclo.

O fato de não ser possível produzir novos óvulos está associado à quantidade limitada disponível durante a vida reprodutiva, e esse fato influencia diretamente a reserva ovariana e a fertilidade feminina.

Qual é a relação entre a reserva ovariana e a fertilidade feminina?

A reserva ovariana se refere a quantidade de folículos ovarianos disponíveis nos ovários naquele momento. É um tipo de estoque de óvulos, que são utilizados durante os ciclos menstruais ao longo da vida reprodutiva até chegar ao seu fim. Os ciclos menstruais iniciam na puberdade e finalizam na menopausa.

Por esse motivo, a idade é uma das principais causas de infertilidade feminina. Com o passar do tempo, a quantidade de óvulos diminui e os remanescentes sofrem com o envelhecimento e o desgaste natural, prejudicando a sua qualidade.

Esses dois fatores, qualidade e quantidade dos óvulos, são fundamentais para que a fecundação aconteça. A presença de doenças, síndromes, menopausa precoce e hábitos como o tabagismo podem causar distúrbios ovulatórios e, como consequência, diminuir as chances de uma gravidez.

Devido a idade, a chegada da menopausa também afeta naturalmente a reserva ovariana, como vamos mostrar a seguir.

O que acontece com os óvulos na menopausa?

A menopausa é o evento marcado pela última menstruação, determinando o fim da fase reprodutiva. Ocorre, em média, entre os 45 e 55 anos devido a uma queda na produção dos hormônios estrogênio e progesterona. A interrupção das menstruações é um processo natural que causa alguns sintomas incômodos para as mulheres, como irregularidade menstrual, ondas de calor, alterações no sono e na libido.

Mas os problemas com os óvulos também podem acontecer antes da menopausa. Diversas doenças e condições estão relacionadas com distúrbios ovulatórios, aumentando o risco de infertilidade. Nesses casos, a reprodução assistida pode ajudar o casal a ter filhos.

A escolha da técnica utilizada é definida após uma investigação da saúde reprodutiva da mulher e do seu parceiro, pois cada caso é único. Entre as opções, a relação sexual programada (RSP) e a inseminação artificial (IA) são técnicas de baixa complexidade e a fertilização in vitro (FIV), de alta complexidade.

Os óvulos são os gametas sexuais femininos formados durante a fase embrionária. Assim, as mulheres nascem com uma quantidade definida para ser utilizada ao longo da sua vida reprodutiva. A partir da união com o espermatozoide o embrião se forma e a gravidez acontece. No entanto, a idade e algumas doenças podem causar distúrbios ovulatórios afetando a fertilidade feminina. 

Conhecer o ciclo menstrual é importante para a mulher perceber irregularidades mais rapidamente e aumentar as chances de uma gravidez, caso esse seja o seu desejo. Uma maneira de fazer isso é calculando o seu período fértil. Para saber como, toque aqui!

teste

Veja também:
O que é DIP?

A gravidez é o sonho de muitas mulheres, porém, sabemos que determinadas doenças e condições […]

Leia +
E-book:
Last E-book Manual da Gestante Baixe grátis

Compartilhe:

Deixe seu comentário
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Scroll