Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP Menu.

Orquite: sintomas e diagnóstico

A infertilidade masculina é responsável por cerca de 40% dos casos de infertilidade conjugal.

Por ser uma condição provocada por diferentes etiologias, são necessários exames para diagnosticá-la.

A orquite, uma das causas de infertilidade, é uma inflamação nos testículos que pode afetar a espermatogênese, prejudicando a qualidade dos espermatozoides produzidos e, consequentemente, sua capacidade de fecundar o óvulo.

Por isso, a orquite deve ser tratada adequadamente. Continue lendo e saiba mais sobre sintomas, como é feita a investigação, possíveis tratamentos e consequências da doença.

O que é orquite?

A orquite é caracterizada por uma inflamação nos testículos, que pode ser causada por diferentes agentes etiológicos, como vírus, parasitas, traumas, entre outros, sendo o mais comum o vírus da caxumba.

A doença pode acometer um ou ambos os testículos e se manifestar de forma aguda ou crônica. A orquite aguda causa dor e desconforto.

Muitos pacientes acometidos por ela relatam sensação de peso nos testículos e dor.

A orquite crônica, geralmente, é assintomática. Ou seja, não apresenta sintomas. Alguns pacientes relatam sensação de desconforto à palpação.

A orquite pode acometer também os epidídimos, pequenos canais ligados aos testículos responsáveis pelo amadurecimento e pela condução dos espermatozoides até os canais deferentes, que levam os gametas até as vesículas seminais no percurso da ejaculação.

Quando isso ocorre, a doença é denominada orquiepididimite.

Quais são as principais causas da orquite?

Existem diversas causas da orquite: trauma no local, torção dos testículos, fungos, bactérias, vírus, entre outros.

Há diversos microrganismos que facilitam o surgimento dessa doença.

Orquite viral

A causa mais comum desta doença é o vírus da caxumba.

Muitos jovens adquirem a orquite quando contraem a caxumba, mas há outros vírus que podem desencadear a orquite, como Influenza, Coxsackie, Echo, Vírus da Mononucleose, entre outros.

Não há risco de infertilidade se o homem contrair o vírus antes da puberdade, uma vez que ainda não há produção de gametas.

Na orquite viral, o tratamento é feito para aliviar os sintomas. Podem ser prescritos analgésicos e anti-inflamatórios, assim como recomendado repouso e compressas frias na região.

Orquite bacteriana

A orquite bacteriana é causada por diferentes bactérias e geralmente está associada à epididimite, principalmente a que tem como agente etiológico o Micobacterium sp. Já o Haemophilus pode afetar apenas os testículos.

A orquite cujo agente etiológico é o treponema pallidum é uma orquite sifilítica e pode provocar danos severos aos testículos.

Outras bactérias que podem causar a doença por transmissão sexual são as causadoras da clamídia e da gonorreia.

O tratamento é realizado principalmente com antibióticos e analgésicos ou anti-inflamatórios não esteroides para aliviar a dor.

Também podem ser indicados repouso, a utilização de suspensório escrotal e compressas frias.

Orquite por outras causas

Não é tão comum, mas a orquite pode ser causada por traumas, torções e até mesmo parasitas.

Os traumas e torções podem gerar danos no tecido do testículo, prejudicando a circulação sanguínea e causando a insuficiência de oxigênio.

Sintomas

Os principais sintomas relacionados à inflamação causada pela orquite nos testículos são:

  • Ejaculação com sangue;
  • Sudorese testicular;
  • Dor e inchaço nos testículos;
  • Febre e mal-estar;
  • Desconforto à palpação dos testículos;
  • Sensação de peso na região;
  • Urina com sangue.

Os sintomas da orquite podem surgir após 7 dias da contaminação. Quanto mais rápido for diagnosticada a doença, maior a possibilidade de cura e de preservação da fertilidade.

Procure um médico caso identifique os sintomas.

Como é feita a investigação?

A investigação da orquite deve ser feita por um médico urologista. São investigados os sintomas que o paciente apresenta e realizados exames específicos, como de sangue e ultrassonografia da região escrotal.

Além dos exames mais básicos, pode ser pedido um teste para gonorreia e clamídia, por exemplo.

Esses exames auxiliam o médico a descobrir o agente etiológico da doença e a definir o melhor tratamento.

Nos casos mais extremos da doença, pode ser indicada a cirurgia para remoção de um ou de ambos os testículos.

Quais são a possíveis sequelas da orquite?

A orquite tem cura e a maioria dos pacientes não apresenta sequelas quando o tratamento é feito corretamente com acompanhamento do médico.

Para isso, descobrir a doença precocemente é fundamental para o sucesso do tratamento.

No entanto, há algumas sequelas que podem acometer o paciente, como a atrofia dos testículos, infertilidade e a formação de abscessos.

Esse artigo ajudou você? Clique aqui para se aprofundar no assunto e aprender como lidar com a doença.

Veja também:
O que é inseminação artificial?

Desde a década de 1970, quando começou a ser utilizada no Brasil, a inseminação artificial […]

Leia +
E-book:
Last E-book Manual da Gestante Baixe grátis

Compartilhe:

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Scroll