Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP Menu.

O que é transferência de embriões congelados?

A fertilização in vitro (FIV), devido ao progresso da ciência, já possibilitou que milhares de pessoas concretizassem o sonho de ter filhos. O uso de técnicas complementares à FIV, como a criopreservação de gametas e embriões, aumenta as chances de sucesso para mulheres inférteis por diversos motivos, assim como para casais homoafetivos e homens que queiram realizar produção independente.

A indicação da criopreservação de células germinativas e embriões gera dúvidas nos pacientes. Pensando nisso, elaborei este post. Falarei sobre a transferência de embriões congelados, como é feita, suas indicações e mitos relacionados à técnica. Continue lendo e confira!

O que é transferência de embriões congelados?

Na transferência de embriões congelados, inicialmente os gametas, tanto masculino quanto feminino, são coletados e fertilizados em ambiente especializado e preparado para o desenvolvimento do embrião até a fase em que será transferido para o útero da mulher.

Durante o procedimento, a mulher faz uso de medicamentos hormonais com o objetivo de estimular os ovários a produzirem um número maior de óvulos e de induzir a ovulação. Isso aumenta as chances de haver embriões viáveis para o congelamento.

A criopreservação é feita por uma técnica chamada vitrificação, que isola e mantém os embriões em baixas temperaturas para que sua composição e a sua funcionalidade sejam mantidas inalteradas e funcionais.

No momento da transferência ao útero, existe uma quantidade máxima de embriões que podem ser transferidos, de acordo com a idade da mulher que gerou os óvulos. Essa é uma exigência do Conselho Nacional de Medicina (CFM) que visa evitar a gestação múltipla.

Como é feita a transferência dos embriões congelados?

As etapas da transferência de embriões congelados são:

  • descongelamento dos embriões;
  • preparo do endométrio;
  • transferência dos embriões para o útero.

Quando o casal decide ter um filho, solicita o descongelamento dos embriões. A primeira etapa é a preparação do endométrio — camada que reveste internamente o útero. O endométrio é preparado com medicamentos até atingir a espessura ideal para receber o embrião no útero e consolidar a gravidez.

Quando o endométrio está preparado, os embriões são descongelados, o que pode ser feito no mesmo dia ou no dia anterior à transferência dos embriões ao útero. A última etapa é a transferência, realizada com o auxílio de um cateter, que passa pelo colo do útero e deposita os embriões na cavidade uterina guiado por ultrassom.

Quais são as indicações da criopreservação dos embriões?

A criopreservação de embriões é indicada para os seguintes casos:

Embriões excedentes no ciclo da FIV

Na ocorrência de embriões excedentes durante a FIV, os embriões devem ser congelados e podem ser usados: em uma tentativa futura de gestação; para doação a outros casais; em novas tentativas de ciclo FIV, caso não tenha sucesso no ciclo atual.

Técnica freeze-all

A técnica de freeze-all é uma estratégia que busca diminuir as chances de falha na implantação, o que significa fracasso da gravidez. Nela, a FIV é dividida em duas etapas.

Na primeira, é realizada a estimulação ovariana e indução da ovulação, a coleta dos óvulos e dos espermatozoides, a fecundação e o congelamento de todos os embriões viáveis para a transferência.

A segunda etapa consiste no período de preparo endometrial para transferência embrionária, descongelamento dos embriões e transferência ao útero para início da gravidez.

Preservação da fertilidade

Algumas doenças exigem tratamentos que podem levar a mulher à infertilidade, como é o caso de pacientes oncológicos. Dessa forma, o congelamento de embriões para transferência futura é uma opção para aqueles que desejam ter um filho.

3 mitos sobre a transferência de embriões congelados

1- Embriões congelados têm qualidade inferior aos embriões frescos?

Cientistas, após análise de 11 estudos internacionais de gestação com embriões congelados, identificaram que a criopreservação pode ser até melhor para a saúde da mãe e da criança, pois alegam que o procedimento oferece menos chances de hemorragia, partos prematuros e menor risco de morte durante as primeiras semanas após o nascimento.

2- Congelar os óvulos aumenta as chances de engravidar?

Congelar os óvulos é uma maneira de preservar a fertilidade. Com a técnica freeze-all e outras complementares à FIV, como o teste de receptividade endometrial (ERA), é possível diminuir as chances de falha, uma vez que ajudam a analisar, preparar e identificar a espessura ideal do endométrio para a transferência embrionária.

3- A estimulação dos ovários pode causar câncer de ovário?

Vários estudos indicam que o uso de hormônios (gonadotrofinas) para estimular os ovários não oferece o risco de formação de tumores. No entanto, acompanhamento médico e exame adequados devem ser utilizados para mensurar o risco para cada casal.

Este post te ajudou a entende como ocorre a transferência de embriões e qual é sua importância? Clique aqui e aprofunde seus conhecimentos no assunto.

Veja também:
O que é SOP?

Entenda o que caracteriza a síndrome dos ovários policísticos (SOP) e como ela pode ser tratada

Leia +
E-book:
Last E-book Manual da Gestante Baixe grátis

Compartilhe:

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Scroll