Dra. Adriana de Góes | Reprodução Humana SP
Menu.
Procedimentos (Os procedimentos são realizados por laboratório de parceiros)
Reprodução Humana

(Os exames são realizados por laboratório de parceiros)

Hatching assistido

Hatching assistido (HA), assisted hatching ou eclosão assistida são termos que se referem a uma técnica realizada no embrião durante a fertilização in vitro (FIV) para aumentar as taxas de sucesso de implantação desse embrião no endométrio, camada interna do útero, para iniciar a gravidez. Essa técnica está indicada quando o hatching natural não ocorre ou ocorre parcialmente.

O óvulo é protegido por uma camada chamada zona pelúcida, que pode ser mais fina ou mais grossa, dependendo de uma série de fatores, e tem duas funções principais:

A zona pelúcida, após a fecundação do óvulo pelo espermatozoide, ainda atua na proteção do embrião. Todavia, deve se romper após cerca de cinco dias, quando o embrião chega ao útero, no estágio de blastocisto. Nesse momento, inicia a implantação endometrial. Caso este processo não aconteça, pode ocorrer falha de implantação e a gravidez não ter êxito.

Na FIV, o HA é uma técnica que facilita a eclosão da zona pelúcida que não se rompeu para que o embrião se fixe mais facilmente no endométrio.

Neste texto, vamos abordar quando o HA é indicado na FIV e como é feito o procedimento.

Indicações

O HA é indicado nas seguintes condições:

A indicação do HA é sugerida na avaliação do casal, mas é definida durante o período do cultivo embrionário, momento que é possível, de fato, verificar a necessidade de rompimento da zona pelúcida.

Como é feito o hatching assistido

O HA é um procedimento realizado em laboratório no processo de FIV. Essa intervenção propicia o rompimento ou o afinamento da zona pelúcida para facilitar a fixação do embrião no endométrio e, consequentemente, favorecer a ocorrência de gravidez.

A FIV tem as seguintes etapas: estimulação ovariana e indução da ovulação, punção folicular e coleta dos espermatozoides, fecundação, cultivo embrionário e transferência dos embriões ao útero materno.

É possível prever a necessidade de HA na avaliação clínica para FIV. Contudo, somente na fase de cultivo embrionário há a certeza da indicação da intervenção.

Existem três métodos de HA:

Hatching assistido a laser

O laser possibilitou avanços em diversas áreas da ciência. Na reprodução assistida, uma de suas aplicabilidades clínicas é o rompimento da zona pelúcida do embrião para facilitar a implantação.

Atualmente, o HA a laser é o método mais utilizado, pois permite o afinamento da zona pelúcida com maior precisão da dimensão da abertura a ser realizada. No próprio laboratório, durante o cultivo do embrião, o embriologista faz a análise da zona pelúcida e realiza o HA, quando necessário. O procedimento é rápido e seguro.

Hatching assistido mecânico

O primeiro método desenvolvido foi o mecânico. Com o auxílio de uma agulha extremamente fina, o embriologista abre um orifício na zona pelúcida suficiente para a liberação do embrião.

As principais vantagens dessa técnica em relação ao processo químico são o baixo custo e a ausência de risco de danos químicos no embrião. Por outro lado, o embriologista deve ter experiência para não prejudicar a viabilidade embrionária.

Hatching assistido por processo químico

O HA por processo químico é o que oferece maior risco de comprometimento embrionário e, portanto, pouco indicado na atualidade. O método químico consiste na aplicação de substâncias ácidas na zona pelúcida para que ela se rompa. Esse processo é de difícil controle. As substâncias utilizadas podem afetar o embrião, provocando um desequilíbrio do pH da célula, e, consequentemente, promover a degeneração embrionária.

Além de ser um procedimento com alto custo, o risco de danos ao embrião é significativo, fato que inviabiliza a utilização da técnica.

Compartilhe:

Faça um comentário
0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
O que é DIP?

A gravidez é o sonho de muitas mulheres, porém, sabemos que determinadas doenças e condições […]

Leia

Contato

Rua do Rócio, 423 - Conjunto 1.502 Vila Olímpia | São Paulo-SP CEP 04552-000

(11) 4750-1170

(11) 97264-9552

Scroll